1/27/2009

Privado feito público II

A vizinha de Olga não pára de gemer do princípio ao fim quando fode com o namorado. Quando está sozinha em casa, Olga deita-se no chão da sala, encosta o ouvido no chão frio e deleita-se com a ressonância sexual que ecoa dentro dela. Parecia-lhe estranho que alguém pudesse manter aquela melodia do prazer sem quebras de intensidade. Chegou a pôr a hipótese de que a rapariga realizava pequenos filmes pornográficos caseiros com banda sonora suspirosa. Ou então, tudo era possível no mundo do prazer, que os gemidos dela eram o canto da sereia com poderes encantatórios para atrair os homens. Nem quando a rapariga se distraía na meditação oral os sons do prazer se deixavam de ouvir, levando Olga a acreditar que ela gemia pelo nariz.
Normalmente, para Olga a duração do acto sexual prolongava-se para além do suportável, com pausas estratégicas para mudança de posição e recuperação dos níveis de apetência sexual. Nesse momento, o silêncio era uma página escrita com as indicações da vizinha fodilhona. Olga memorizava tudo para posterior ensaio com o marido, mas o grau de dificuldade em visualizar o que as palavras da rapariga murmuravam levavam-na a imaginar-se numa situação em que o acto sexual seria uma perversão artística de Gustav Klimt.
Olga nunca poderia compreender que os gemidos que a enfeitiçavam eram o prolongamento do corpo da rapariga. Cruzara-se com ela várias vezes nas escadas do prédio e achara-a vulgar e pouco atraente. Tinha uma voz quente e invulgar nos cumprimentos que lhe dirigia, e talvez essa particularidade fosse o seu lock quando estava completamente despida. Toda a luxúria residia na sua voz, e os vários namorados que frequentavam a casa dela eram possuídos por aquele trinado encantador. Está encontrada a explicação.
Já no fim da queca é que a melodia desafinava, pois eram três a cantar a mesma música e a gemer um refrão orgástico como se fosse um fado de prazer e solidão.

Fernando Esteves Pinto, in Privado

P.S. Apresentação pública de Privado, a publicitar em post próximo.

Etiquetas: , ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home