11/12/2005

«A Festa do Asno», José Emílio-Nelson

Aos Do Café

Eu distribuo o convite
Pelo outro com quem falo (solitário)
E com isso vocês gozam.

Verdade, verdadinha, só às vezes,
Mas DUQUE FALO nunca falta,
Bobo de guizos grisalhos.

E se eu não vos apareço
Digo-vos com todo o apreço:
Ele, sozinho, faz tudo,
Morra eu descansadinho.
Mais do que as calças manchar.
Penso para os botões, tu P.,
Irás depois cagar, tu A., irás fungar
Com a garganta entupida.
E não me estou a gabar.
Ele, sozinho faz tudo,
Diz-me o falo, DUQUE FALO.

José Emílio-Nelson in A Festa do Asno

Etiquetas: ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home