11/07/2005

Esses Dias Continuados VIII

Leves amenidades de peso e a banca muito rota, Paula Fráguas (conto escrito a partir de excertos do meu livro «Esses Dias - HenryKiller.Blog)

«Lá estava a ave canora, portadora de macia e luzidia penugem superficial amarelo cor de gema de ovo, que cobria uma mais fofa camada de alvas penas, assim a modos que a lembrar claras batidas em etéreos castelos bem no ar e com açúcar.O sensual bicho, de bico castanho e uns olhinhos redondinhos, da mesma cor, de brilho apelativo a emanar tonturas de atracção fatal, repousava junto aos seus semelhantes, em falsa passividade de dandy muito atraente. E, então, os trinados começaram a oscilar entre o coração da sereia e a canção do bandido, com frequências só audíveis para alguns. Ela hesitava...
Olhou em redor. Procurou distrair-se com as cores modernas das instituições bancárias.
Pensou, meio à toa, que tanta instituição deveria servir, decerto, as enormes movimentações económicas resultantes de uma das mais significativas produções nacionais (a produção de bicas). Procurou, instintivamente, mudar de assunto, pois estava a regressar ao malfadado animal cantante.
No vidro espelhado duma vitrina de pronto-a-vestir, as griffes sussurravam enormidades.
Uma pequena Alice espreitava, destacando a curiosa cabeça da sua imagem enviada pelo espelhado da vitrina, uma Alice não muito nova nem muito amiga, uma Alice, segundo alguns autores, sentida do lado de cá do espelho. Na verdade, o tempo em que a imagem desenvolvida era a batuta da sinfonia entre a satisfação de se sentir amada e gostar de si já passara e o salto qualitativo, que permitiria a triufante reeentrada no líquido traiçoeiro do espelho, estava por dar...
As griffes, de sorriso escarninho, reluziam...
O dia morria devagar...O sol, bem de produção ainda não descolectivizado, retirava-se para merecido descanso, após ter assistido durante, durante mais um dia, a tanto crime ecológico a bem do lucro desenfreado...
Ela hesitava...
Ainda tinha que regressar ao emprego para trabalhar até à noite, em horas extraordinárias não remuneradas...Devia ingerir uma refeição não muito rica em calorias...E de preferência de absorção não muito rápida...No dia seguinte, mais uma sessão de atendimento a funcionários da empresa que iriam ser obrigados a rescindir contrato de trabalho, mediante indemnização.
Ainda teria naquela noite que estudar o perfil psicológico dos que atenderia na manhã seguinte, com vista a obter o acordo com os mínimos gastos para a empresa.
Um vazio no meio do peito começava a instalar-se...Mau. Assim não ia lá.



Desesperada, começou a sentir na boca a macieza do bicho a desfazer-se em suavidades maiores...
Lembrou-se da sua hipertensão, da anomalia da glicemia em jejum, como apelidara a médica de família aquela sua possibilidade de futuro problema maior...
Então e os antidepressivos, por que razão não estaria a surtir efeito?...Calma...Uma noite bem domrida e tudo se recomporia. No dia seguinte...
O animal estava a ter muita saída. Repousando sobre uma espécie de pastel de nata e daí fazendo os seus jogos de sedução tão perversos quanto deliciosos.
No dia seguinte mais uma dose de funcionários com cerca de cinquenta e dois anos, novos demais para reforma pela Segurança Social e velhos demais para encontrar novo emprego, com um desespero esverdeado nso olhos, enquanto ela lhes respondia: Então, olhe...pegue no dinheiro da indemnização e invista...Em quê? Sei lá...Numa pastelaria...Toda a gente bebe bicas. Num pronto-a-vestir...
Sem se dar conta, veio-lhe à lembrança uma notícia lida na imprensa sobre os EUA, cujos funcionários viram os seus empregos fugirem para a Alemanha, apesar dos operários desse país ganharem mais do que os dos States. Era verdade, segundo da notícia veiculada pela revista Visão, a Whirpool quis passar a vender nos EUA máquinas de lavar com porta frontal. E como já tinha essa tecnologia aperfeiçoada na sua fábrica de Alemanha entendeu que exportar a partir dali era a forma mais rápida de entrar no seu próprio país. Trata-se duma nova globalização, em que as multinacionais rentabilizaram as suas filiais em todo o mundo consoante as necessidades:nalguns casos para países em vias de desenvolvimento, noutros para locais com design de alta qualidade. Por isso, maid e 40% dos artigos importados pelos EUA são-lhe vendidos, não por outros países, mas por filiais duas suas próprias empresas no estrangeiro. E o deficit do país não para de crescer. Já estava com a cabeça a andar à roda só de pensar no poder financeiro, no poder económico e já nem queria pensar nos impostos, fraude fiscal, economia paralela, fuga de capitais e em........Despesa pública....
Entrou na pastelaria, pediu com ar desatinado: um passarinho! E lançou-se nos braços da ave, atacando-a com o canibalismo de quem devora e incorpora o seio materno.Ai...O obeso peso da culpa...
Nessa noite estav tão cansada que adormeceu no sofá com a televisão ligada. Como já era muito tarde e quase toda a audiência estaria a dormir, a Tv passava uma canção muito antiga dos Donovan:
Todos os ventos riem, eles riem
com todo o seu poder;
Riem e riem ao longo de todo o dia;
E em metade das noites de Verão;
Num vagão, conduzido para o mercado;
Vai uim vitelo com olhos de
carneiro mal morto;
Lá no alto, acima dele vai uma
andorinha;
Voando através do céu;
Pára de te queixar, disse o agrário;
Quem te mandou ser um vitelo;
Por que é que não tens asas como;
A andorinha tão orgulhosa e livre;
Os vitelos são facilmente conduzidos
e mortos;
Sem nunca saberem a razão por que;
Mas quem tem a liberdade como tesouro;
Como uma andorinha aprendeu a voar;
Todos os ventos riem, eles reim com
todo o seu poder».

Etiquetas: , ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home